Páscoa e o nosso renascimento

por Ana Amorim

Seja para os católicos ou para os judeus, Páscoa tem sentido de vida nova. Para os primeiros significa que Jesus ressuscitou libertando-se assim da morte três dias após sua crucificação. No judaísmo é a comemoração da libertação do povo hebreu adquirida pelo êxodo do Egito onde viviam como escravos, tornando-se então um povo livre. Em ambas as religiões celebra-se a vida, a superação, a libertação e o renascimento diante de uma nova possibilidade.

O simbolismo desta data me faz pensar sobre nossas vidas aqui neste planeta e em todas as mortes que vivenciamos ao longo da existência. Ciclos terminam, pessoas vão embora ou somos nós quem partimos; ou não partimos e ficamos aprisionados em situações  de escravidão disfarçadas muitas vezes de zona de conforto, de relações estáveis, sejam essas afetivas ou profissionais. Escravos da rotina, da repetição, da roda da fortuna e do azar, das obrigações impostas, dos deveres sem fim, da culpa que pesa nos ombros feito cruz, que arrastamos pela via dolorosa que cada um esboça para si e percorre.

A simbologia da Páscoa sugere que podemos “morrer” e renascer quantas vezes forem necessárias dentro da mesma existência, assim como podemos abandonar o que nos aprisiona e sufoca, partir para outras experiências apesar do medo, do risco, do que  temos que abrir mão ou “perder” para ganhar lá na frente em movimento, liberdade, livre escolha. Para tanto é preciso não só coragem e desapego mas também fé, no sentido de acreditar que a abundância do Universo está disponível para quem busca viver de acordo com o seu coração, para quem se mantém integro e fiel aquilo que acredita ser seu propósito.

Mudar de rota, de trabalho, de casa, de parceiro, mudar de opinião (por que não?). Mudar a percepção, a compreensão, a resposta. Abandonar velhos padrões e hábitos, desenraizar-se, fazer o caminho de volta. Ressuscitar o que permitimos que morresse em nós, sonhar novos sonhos ou reeditar algum sonho antigo que continue valendo, encaminhar-se rumo à terra prometida que nada mais é do que estar no mundo de uma maneira que nos faça feliz.

Feliz Páscoa, feliz despertar, feliz recomeço!!

Que possamos fazer a passagem de uma vida limitante para uma vida onde o céu seja o limite! Onde cada um de nós possa caminhar por onde escolher e sentir-se em casa onde quer que esteja porque está vivendo de acordo com o que é e acredita. Porque está em paz e, portanto, está em casa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.