Desligamento

Após completarmos um ano de blog senti que precisava rever o rumo do meu trabalho aqui. Meus assuntos são moda, livros, opinião.

Com o correr dos meses, o blog, que inicialmente foi pensado para englobar todo o universo de uma mulher de +50 anos, tomou outro caminho. Isso não espanta visto que blogs são criaturas orgânicas que crescem a seu bel prazer, dificilmente se limitam às gaiolas que pensamos originalmente para eles.

Os textos de comportamento hoje envolvem toda e qualquer faixa etária, estão aí para nos servir de guia em nossa vivência diária. Os textos das quintas-feiras, que eram sobre corpo e nossa relação com ele, também se movimentaram e saíram do concreto para falar sobre espiritualidade.

Nesse cenário atual, Moda também deveria se expandir e servir a mais pessoas ou mudar o foco para algo diferente. Não foi o que aconteceu.

Blogueira há seis anos com o Pílulas de Moda, meu ponto de referência para escrever é a moda, seguido de livros, comentários sobre posts que li e sobre algumas incoerências da vida, da idade, do mundo. Mas, basicamente, Moda.

E neste momento em que o E AÍ, 50? se dirige tão fortemente para assuntos mais sérios ou intangíveis, não vejo simbiose do meu texto com o das minhas queridas amigas Ana e Marise.

Por isso e, sem qualquer estresse ou desagrado, solicitei à elas meu afastamento do texto semanal. Vou continuar nos bastidores, editando e inserindo imagens para os posts de domingo e quinta-feira, aprovando os comentários. Se quiser falar comigo, é só comentar.

À vocês, queridas leitoras, um grande beijo e muito obrigada por terem me acompanhado nesta caminhada. Ah! quem gosta do que escrevo poderá sempre me encontrar no Pílulas.

Jeans e flats

Calças jeans são quase unanimidade na moda – com raríssimas exceções, todo mundo tem ao menos uma no guarda-roupa. Durante um bom tempo acreditei que para nós, 50′, as jeans deveriam ser retas e de cor escura, preferencialmente sem lavagens (desbotados). E, sim, esse é um modelo sem erro, com ele você estará 100% segura de estar corretamente vestida.

Ultimamente estou tentando incluir novos modelos e cores – afinal, não é todo dia que a gente quer segurança, às vezes quer mesmo é ousar. Sobre novas modelagens, esta aqui está sendo muito usada: a barra assimétrica.

Mais curta na frente que atrás, sem acabamento além do corte, uma boa opção para quem vai comprar jeans agora. E é preferencialmente usada com rasteiras, mules e sandálias flats. O que nos leva ao outro tópico deste post: a escolha do pisante.

Mule: esse tipo de sapato é traiçoeiro pois, se não tiver bastante área sobre o peito do pé, vai lhe obrigar a ficar encolhendo os dedos para “segurá-lo” no lugar, o que é totalmente não recomendado por ortopedistas.

Acima, uma Monse, caríssima, que não resisti a colocar aqui porque fiquei apaixonada pela ousadia dessa combinação de cores, materiais e estampas. As mules são quase chinelos, se não tiverem algum item de interessância, vão ficar exatamente como chinelos de quarto.

As acima estão  no site OQVestir, escolhidas por mostrarem estilos e marcas diferentes.

Sandálias: bem mais confortáveis, têm amarração ou tiras no calcanhar, deixando o pisar mais firme. Um pouco de salto é bem vindo, mas nada muito alto – até uns 4 cm estão dentro desta proposta.

Exemplo de interessância: Esta Jacquemus “Les Boutons Sandals” com saltos diferentes. Não é uma ousadia? E uma graça?

Em nosso País, pelo próprio clima, é mais difícil encontrar sandálias fechadas como a acima. E a nomenclatura também é confusa: encontrei mules na seção de sandálias e vice-versa. Vale olhar tudo quando estiver procurando online.

Escolhi aqui as mais fechadas ou com saltos diferentes (achei um bolinha e um quadrado ).

Conselho final: o conhecido é bom, porém, sair da caixinha e buscar novas formas de se expressar, mesmo que somente através da moda, é muito melhor.

A busca da diversidade

“Corpo bonito” é meramente um padrão estético idealizado pela sociedade dominante, em um certo período de tempo. Nosso tempo atual tem sido muito cruel com as mulheres, mostrando na mídia somente corpos magros e malhados. Vocês às vezes não veem aqueles quadros do Renascimento e se perguntam “por que eu não nasci naquela época?”.

Brincadeiras à parte, graças a muito texto e muita discussão, estamos avançando para a inclusão e aceitação do corpo em todas as suas formas.

É por isso que não entendo como uma grife [Off-White] que está se intitulando “o novo fenômeno fashion ao redor do mundo”, escolhe uma modelo claramente numa das pontas do espectro da normalidade corporal.

Não consigo olhar para essa foto sem sentir desconforto. Tudo que é exagerado é feio…

Vamos combinar: não precisamos e nem devemos ser muito magras para nos sentirmos bem. E não vamos deixar que imagens da mídia nos influencie no que achamos coerente para nossa vida. Já sofremos isso por muitos anos, está mais do que na hora de gritar ‘basta’! Viva a diversidade!

Sandálias para o Verão

Tatiana Loureiro é uma marca de calçados que acompanho há tempos. Sua especialidade inicial eram as sapatilhas: extremamente bem feitas, com materiais de primeira e costuras à mão, eram confortáveis e referência para todo mundo que amava sapatos baixos.

De um tempo para cá, porém, a shoemaker alterou sua vocação primária e começou a criar modelos com saltos altos. Tenho que confessar que fiquei bem triste com a mudança, já que sou fervorosa adepta de suas sapatilhinhas.

Continuo acompanhando sua trajetória e criações, e ela não tem parado de buscar novos rumos. Vocês lembram da parceria Tatiana Loureiro + Joulik, que foi lançada em 15 de setembro p.p.?

http://4.bp.blogspot.com/-9lipO7RO-Ds/WbsfKOXCYDI/AAAAAAAAQaU/R1JGZVccYNAjQCvVgrTRF_AvHqFzIdAFwCK4BGAYYCw/s1600/tatianaloureiro-joulik.png

E agora, para o Verão, criou esta sandália com bolinhas que é uma coisa  linda, bem diferente dos modelos habituais que se repetem todo ano.

Não são tachas nem meia-esferas, como já vi em outros sapatos: são bolinhas inteiras formando um cordão na tira frontal da sandália.

Também se apaixonou? No site da marca há três cores (nude, amarelo ou azul marinho) e custa R$350.

Também gostei destas rasteiras delicadas e sinuosas, incomparavelmente mais bonitas que as que imitam uma cobrinha, sabem quais?

Essa verde não está incrível?? Rasteira Cristais, valor R$420 (link)

Acabei por comprar a sandália acima para mim, que tem uma pegada mais pesada, mais rocker. Tem saltinho pequeno, totalmente viável para quem gosta de sapatos baixos. Essa cor é “aço” e as bolinhas são prateadas (R$530 – link). Há a opção de entrega em um dia que, lógico, foi a que eu escolhi.

Conclusão: Vale conhecer os calçados. O preço é salgado, mas a qualidade e o conforto compensam. A marca chegou a ter lojas em três shoppings de SP, mas atualmente só mantém a do Shopping Iguatemi. #recomendo

Ah! E é bom lembrar que este post não é patrocinado. Quando elogio ou escolho escrever sobre uma marca, o que vocês leem é exatamente o que penso.

O desafio ’10 peças, 10 looks, 10 dias’

Quem me conhece sabe que eu sou a louca por Moda que tem um namoro tumultuado com o Minimalismo. Me seduz a ideia de ter somente o que uso e amo, e de dispensar coisas que ficam guardadas por anos a fio sem utilidade. Já experimentei o armário cápsula por dois meses e foi uma experiência super boa.

  1. O Amor pela Moda e o Minimalismo
  2. Armário cápsula: iniciando Projeto 333
  3. Armário cápsula: como foi o primeiro mês do Projeto
  4. O segundo mês do Armário cápsula

No entanto, volta e meia esqueço como esse exercício foi produtivo, me encanto com as últimas novidades das passarelas e do streetwear e volto às compras e a sub-usar minhas roupas.

Mas, retornando ao título do post, vamos falar do Desafio “10×10”: ele é um projeto idealizado pela blogueira StyleBee em 2015 visando o encorajamento a ser mais criativa com suas roupas durante um mês em que ela se propôs a não fazer compras de vestuário. Ela explica que é essencialmente um micro armário cápsula que funciona por 10 dias, de forma a forçar o uso das roupas em looks de diferentes estilos e de maneiras ainda não testadas.

Pensa bem, você consegue se imaginar usando somente 10 peças do seu closet, escolhidas entre tops, calças e sapatos, durante 10 dias? Olha só como é um empreendimento que exige programação e criatividade!

Veja as escolhas da blogueira Un-Fancy, que também faz esse desafio:

Parece super pouco, não é? Mas realize que são somente 10 dias e você verá que é totalmente viável! Eu acho que faria esse desafio escolhendo 2 partes de baixo, 6 partes de cima e 2 sapatos. Lembrando que bolsas, roupa de dormir e de ginástica estão liberadas. Ah! E uma coisa super importante: escolher bem a paleta de cores para que todos os itens sejam compatíveis entre si.

A vantagem do 10×10 é que sua preparação é mais simples que um armário cápsula para um mês inteiro, e você pode alterar as regras ao seu bel prazer.

E aí? Vamos experimentar??