O desafio ’10 peças, 10 looks, 10 dias’

Quem me conhece sabe que eu sou a louca por Moda que tem um namoro tumultuado com o Minimalismo. Me seduz a ideia de ter somente o que uso e amo, e de dispensar coisas que ficam guardadas por anos a fio sem utilidade. Já experimentei o armário cápsula por dois meses e foi uma experiência super boa.

  1. O Amor pela Moda e o Minimalismo
  2. Armário cápsula: iniciando Projeto 333
  3. Armário cápsula: como foi o primeiro mês do Projeto
  4. O segundo mês do Armário cápsula

No entanto, volta e meia esqueço como esse exercício foi produtivo, me encanto com as últimas novidades das passarelas e do streetwear e volto às compras e a sub-usar minhas roupas.

Mas, retornando ao título do post, vamos falar do Desafio “10×10”: ele é um projeto idealizado pela blogueira StyleBee em 2015 visando o encorajamento a ser mais criativa com suas roupas durante um mês em que ela se propôs a não fazer compras de vestuário. Ela explica que é essencialmente um micro armário cápsula que funciona por 10 dias, de forma a forçar o uso das roupas em looks de diferentes estilos e de maneiras ainda não testadas.

Pensa bem, você consegue se imaginar usando somente 10 peças do seu closet, escolhidas entre tops, calças e sapatos, durante 10 dias? Olha só como é um empreendimento que exige programação e criatividade!

Veja as escolhas da blogueira Un-Fancy, que também faz esse desafio:

Parece super pouco, não é? Mas realize que são somente 10 dias e você verá que é totalmente viável! Eu acho que faria esse desafio escolhendo 2 partes de baixo, 6 partes de cima e 2 sapatos. Lembrando que bolsas, roupa de dormir e de ginástica estão liberadas. Ah! E uma coisa super importante: escolher bem a paleta de cores para que todos os itens sejam compatíveis entre si.

A vantagem do 10×10 é que sua preparação é mais simples que um armário cápsula para um mês inteiro, e você pode alterar as regras ao seu bel prazer.

E aí? Vamos experimentar??

Vamos destralhar?

Retirar o excesso que nos cerca exige determinação e uma boa dose de trabalho. Compramos muito mais do que realmente necessitamos e, quando vamos ver, estamos com os armários lotados de roupas, utensílios de cozinha, enfeites diversos, etc.

Nem precisamos nos arvorar a minimalistas: o destralhamento é uma necessidade em todas as casas, seja mais dia ou menos dia. É aquela hora em que você vê que não dá mais para guardar todos os cadernos e desenhos que seu filho fez no pré-primário; que as roupas que não servem mais estão só atrapalhando o vestir-se de manhã; que a quantidade de bibelôs está deixando a rotina de tirar pó das mesas um verdadeiro inferno. Aí você decide arregaçar as mangas e destralhar.

Mas como decidir o que fica e o que vai? Há alguns truques, olha só:

1- Você compraria esse objeto agora? Muitas vezes nossos pertences “caducam”: eram perfeitos um tempo atrás e agora não significam nada ou não têm mais espaço na nossa vida atual e é hora deles cederem seu espaço.

2- Isto pertence a este lugar? Essa pergunta visa determinar se aquele objeto tem espaço em sua casa. Pode ser que ele apenas esteja colocado em lugar errado, mas pode ser que ele não “converse” mais com você ou sua casa. Sua resposta vai determinar se o mesmo ficará estável ou será descartado.

3- Posso usar este espaço de forma diferente? Talvez a simples mudança de objetos de lugar lhe dê uma mesa livre para ser usada de outra maneira: em um hobby, para um cantinho de tomar chá. Coisas demais bloqueiam nossa capacidade de ver mais longe, de ter mais criatividade.

Abrir espaço é libertador! O destralhe dá sempre uma incrível satisfação ao vermos o quanto a rotina fica mais fácil quando tudo está sem seu lugar e tudo tem um lugar para ficar. O que sobrou pode ser doado, vendido, cedido a outros que possam dar utilidade àquilo. Vamos lá?

[texto inspirado em post do site Break the Twitch]