Sandálias para o Verão

Tatiana Loureiro é uma marca de calçados que acompanho há tempos. Sua especialidade inicial eram as sapatilhas: extremamente bem feitas, com materiais de primeira e costuras à mão, eram confortáveis e referência para todo mundo que amava sapatos baixos.

De um tempo para cá, porém, a shoemaker alterou sua vocação primária e começou a criar modelos com saltos altos. Tenho que confessar que fiquei bem triste com a mudança, já que sou fervorosa adepta de suas sapatilhinhas.

Continuo acompanhando sua trajetória e criações, e ela não tem parado de buscar novos rumos. Vocês lembram da parceria Tatiana Loureiro + Joulik, que foi lançada em 15 de setembro p.p.?

http://4.bp.blogspot.com/-9lipO7RO-Ds/WbsfKOXCYDI/AAAAAAAAQaU/R1JGZVccYNAjQCvVgrTRF_AvHqFzIdAFwCK4BGAYYCw/s1600/tatianaloureiro-joulik.png

E agora, para o Verão, criou esta sandália com bolinhas que é uma coisa  linda, bem diferente dos modelos habituais que se repetem todo ano.

Não são tachas nem meia-esferas, como já vi em outros sapatos: são bolinhas inteiras formando um cordão na tira frontal da sandália.

Também se apaixonou? No site da marca há três cores (nude, amarelo ou azul marinho) e custa R$350.

Também gostei destas rasteiras delicadas e sinuosas, incomparavelmente mais bonitas que as que imitam uma cobrinha, sabem quais?

Essa verde não está incrível?? Rasteira Cristais, valor R$420 (link)

Acabei por comprar a sandália acima para mim, que tem uma pegada mais pesada, mais rocker. Tem saltinho pequeno, totalmente viável para quem gosta de sapatos baixos. Essa cor é “aço” e as bolinhas são prateadas (R$530 – link). Há a opção de entrega em um dia que, lógico, foi a que eu escolhi.

Conclusão: Vale conhecer os calçados. O preço é salgado, mas a qualidade e o conforto compensam. A marca chegou a ter lojas em três shoppings de SP, mas atualmente só mantém a do Shopping Iguatemi. #recomendo

Ah! E é bom lembrar que este post não é patrocinado. Quando elogio ou escolho escrever sobre uma marca, o que vocês leem é exatamente o que penso.

O desafio ’10 peças, 10 looks, 10 dias’

Quem me conhece sabe que eu sou a louca por Moda que tem um namoro tumultuado com o Minimalismo. Me seduz a ideia de ter somente o que uso e amo, e de dispensar coisas que ficam guardadas por anos a fio sem utilidade. Já experimentei o armário cápsula por dois meses e foi uma experiência super boa.

  1. O Amor pela Moda e o Minimalismo
  2. Armário cápsula: iniciando Projeto 333
  3. Armário cápsula: como foi o primeiro mês do Projeto
  4. O segundo mês do Armário cápsula

No entanto, volta e meia esqueço como esse exercício foi produtivo, me encanto com as últimas novidades das passarelas e do streetwear e volto às compras e a sub-usar minhas roupas.

Mas, retornando ao título do post, vamos falar do Desafio “10×10”: ele é um projeto idealizado pela blogueira StyleBee em 2015 visando o encorajamento a ser mais criativa com suas roupas durante um mês em que ela se propôs a não fazer compras de vestuário. Ela explica que é essencialmente um micro armário cápsula que funciona por 10 dias, de forma a forçar o uso das roupas em looks de diferentes estilos e de maneiras ainda não testadas.

Pensa bem, você consegue se imaginar usando somente 10 peças do seu closet, escolhidas entre tops, calças e sapatos, durante 10 dias? Olha só como é um empreendimento que exige programação e criatividade!

Veja as escolhas da blogueira Un-Fancy, que também faz esse desafio:

Parece super pouco, não é? Mas realize que são somente 10 dias e você verá que é totalmente viável! Eu acho que faria esse desafio escolhendo 2 partes de baixo, 6 partes de cima e 2 sapatos. Lembrando que bolsas, roupa de dormir e de ginástica estão liberadas. Ah! E uma coisa super importante: escolher bem a paleta de cores para que todos os itens sejam compatíveis entre si.

A vantagem do 10×10 é que sua preparação é mais simples que um armário cápsula para um mês inteiro, e você pode alterar as regras ao seu bel prazer.

E aí? Vamos experimentar??

Tarsila do Amaral & Osklen

No finalzinho de agosto a Osklen desfilou, na 44° edição do SPFW, sua coleção inspirada em Tarsila do Amaral.

Além de peças em linho cru, remetendo às telas em branco, os quadros Manteau Rouge (1923), Palmeiras (1925), Abaporu (1928) e Antropofagia (1929) foram retratados lindamente nos vestidos e nos lenços de seda da coleção.

Algumas camisetas masculinas estão disponíveis no site da marca (R$347) e três modelos femininos, também camisetas, estão no site da Farfetch (R$147 a R$197).

Mas, e os vestidos maravilhosos?? A última vez que passei na loja física me falaram que estavam para receber, e o vestido do Abaporu (acima) chegaria custando mais de R$3 mil.

Seria ótimo ter uma peça tão diferente e com tanta informação de arte, mas acho que vai ficar difícil con$eguir um vestidinho…

 

Moda aos 50′

Falando francamente, vocês não acham que muita coisa melhorou ao ganharmos mais idade? Hoje eu me aceito muito mais do que quando era jovem e tinha que provar meu valor a cada minuto. Agora isso está estabelecido, não há mais stress nesse sentido. E aceito meu corpo também, não fico mais na frente do espelho inspecionando se surgiu uma ruga ou uma manchinha na pele.

E acho que com a Moda é a mesma coisa. Quem nunca se vestiu de forma desconfortável só porque a roupa era ‘linda’ ou estava na moda? Ficar ajustando a alça da blusa que teima em cair, ou puxando a barra da saia para baixo, ou se espremendo numa calça jeans, nunca mais! Sabemos mais que isso.

Usar sapato desconfortável… o tipo mais comum de sapato que existe . Mas hoje preferimos não comprar calçados que fatiem os pés. E também não exagerar no salto para manter os tornozelos saudáveis e longe das quedas, por favor!

Correr para as liquidações e gastar em peças “mais ou menos”. Se você ainda faz isso, hora de aprender: comprar algo mais barato, mas que não é exatamente o que lhe veste bem e o que você estava procurando, é uma roubada. No final, a peça fica encostada no guarda-roupa e a gente fica com menos $ para gastar em algo de real valor para nós.

Por fim, creio que as modinhas que surgem a todo momento não nos encantam mais. Lógico que queremos estar na moda. Mas não vamos usar algo que não tem nada a ver com nosso estilo e também não vamos ficar escravas do último lançamento em roupas. Concordam?

Ronda pelas revistas de moda

Como estamos iniciando setembro e este é um mês especial para as publicações de moda, com a Vogue September Issue aparecendo com tudo, vou oficialmente encerrar agosto com o supra-sumo do que destaquei de algumas revistas desse mês.

Estilo

  • Há uma matéria bem interessante sobre consumo consciente, e o que mais me chamou atenção foram estes números :

  • Estou sempre de olho nas novidades em malas e acessórios para viagens, como necessaires, tags, etc. Achei esta interessante por ter zíper duplo, uma característica que acho fundamental quando se despacham malas por via aérea.

  • Na figura abaixo dois destaques: blusa com babados e verde com vermelho. Já reparou como estas duas trends estão sendo super usadas?

  • Foto linda escolhida:

ELLE

  • A revista fez a reportagem incrível “Mais pé no chão”. Olha que demais, 50% dos sapatos vendidos pela Shop2gether já são flats, e são esses os modelos que primeiro esgotam. Pelo número de celebridades andando com saltos baixos, pelo jeito logo não vai ser mais obrigatório sapato alto nem mesmo nas passarelas!

  • Imagem escolhida pelas cores e pela vibração da estampa geométrica.

Claudia

  • Esta foto nem é de editorial da revista, é uma propaganda da marca Osklen, de sua nova coleção Tarsila. Não é incrível? Fiquei apaixonada!!

  • Olha essa bijoux surreal! Demais.

  • Duas imagens com muita informação de Moda: camisa com babados (a segunda deste post) e blusa de manga larga e volumosa. Fique de olho!

  • Foto preferida pelo tom de rosa, que é difícil de usar mas quando dá certo é uma visão.

* O post veio bem atrasado mas foi interessante, não é?