Paul McCartney (e a rotina)

Este domingo fui com meu marido e um filho assistir ao show de Paul McCartney aqui em SP, no Allianz Parque (estádio do Palmeiras). Foi absolutamente fantástico!! Pontualidade britânica para iniciar o espetáculo, duas horas e quarenta minutos de palco, um público animado que cantou todas as músicas acompanhando o ex-Beatle.

Como ele tem pique para dar um show desses aos 75 anos, é um mistério. Tenho certeza que ele está bem mais disposto que eu, que ainda estou nos 50′

Mas o que eu queria conversar aqui é outra coisa: o quanto é difícil sair da rotina. Quando compramos os ingressos (creio que em Maio), à mera lembrança que iríamos ver Paul McCartney surgiam sorrisos de alegria e empolgação. Nesta última semana antes do show propriamente dito, a coisa mudou…

A ideia de sair do conforto de casa para enfrentar trânsito e multidão, ainda ter que lutar por boa posição de cadeiras – os lugares não eram marcados, dependiam do horário de chegada – e naquele tempinho feio… nossa, deu uma preguiça!… Juro que eu e meu marido estávamos quase cogitando em abandonar o programa.

Mas a melhor coisa que fizemos foi sair, acompanhar o filho e ir ao estádio. Passamos alguns momentos de incerteza até encontrar lugares razoavelmente bons, o tempo estava geladíssimo, bem ao estilo “terra da garoa”, porém a satisfação de ver, ouvir e cantar junto com o Paul… não tem preço (parafraseando a propaganda de Cartão de Crédito).

Conclusão: a rotina nos põe uma bola de ferro no pé e, se a gente não se rebelar e lutar para sair dela, passa a vida inteira fazendo sempre a mesma coisa. E fazer o diferente é simplesmente MARAVILHOSO. Recomendo.

Uma incrível autora australiana

Gosto de ler escritores contemporâneos – a vida mudou tanto nas últimas décadas, que hoje os clássicos quase sempre me parecem enferrujados, fora da realidade. Exceção favorita: Sherlock Holmes, de Sir Arthur Conan Doyle. Leio e releio desde que estava na sexta série (!) e AMO.

Dos autores modernos, o destaque hoje vai para a australiana Liane Moriarty (1966). Ela tem uma imaginação inacreditável e consegue tecer tramas complicadas, verdadeiros thrillers, fechando os livros com conclusões incríveis e inesperadas.

Li seis de seus livros – acabava um e já procurava comprar o próximo. Coloquei-os abaixo com os links de suas respectivas resenhas, na ordem decrescente de sugestão de leitura (do qual mais gostei para o que menos me agradou).

Pequenas Grandes Mentiras
As Lembranças de Alice
The Hypnotist’s Love Story
Three Wishes 
O Segredo do Meu Marido
Até que a Culpa nos Separe

 

Dois títulos ainda não foram traduzidos para o Português, mas apresentam inglês variando de fácil a intermediário.

Destes seis, o único que não recomendaria efusivamente é “Até que a culpa nos separe”, por criar um suspense enorme e, na minha opinião, não entregar um motivo à altura.

Já os demais: LEIA todos! Ela é fantástica e tenho certeza que você vai adorar.

Por que você não…

A Revista Harper’s Bazaar tem, em sua última página, a seção Inspiração com a pergunta “Why Don’t You…”, feita a personalidades da moda.

Sempre leio curiosa para saber quais dicas posso aproveitar, e normalmente me frustro com ideias mirabolantes e nada práticas. Já li coisas como “Por que você não… toma sol na proa de um iate, degustando champagne?”. Então, por que será mesmo que não fazemos isso??

Partindo dessa ideia resolvi fazer um “Por que você não…” da vida real, vamos lá?

Por que você não… se planeja para ler ao menos um livro por mês? Além de divertido ainda rende horas de puro escape do cotidiano.

… se programa para tomar uma garrafa de 1,5 litro de água diariamente? Seu organismo vai agradecer.

… sai da mesmice e escolhe sua bolsa do dia com o mesmo cuidado com que escolhe a roupa? Usar outras bolsas, além daquela curinga, vai alegrar seu look e fazer valer os investimentos já realizados.

… reserva 5 minutos para tomar um café caprichado, acompanhado de um chocolate especial? Por mais simples que isso seja, vai lhe dar mais ânimo para seguir com o restante de seus compromissos do dia.

… telefona para uma amiga e marca um encontro para um almoço ou café? Amigas são irmãs de coração e devemos sempre cultivar esse vínculo.

… tenta um olho esfumaçado ou uma aplicação diferente de blush, usando as maquiagens que já tem em casa?

… tira logo cedo o pijama e se arruma bem para ficar em casa? O ânimo agradece, você vai ver.

Viram só? Tudo isso é factível. E vocês, quais “por que você não…” legais têm em mente?